domingo, 26 de dezembro de 2010

Um sentido...

Le Bon Dieu qui fait si bien les choses
Nous a fait nous rencontrer
Il avait ses raisons, je suppose
Qui font que l’on s’est aimé..

Feliz 26 de dezembro!!

Já acabou o Natal, mas não fique triste. 
Agora você tem mais 364 dias para lembrar de Deus, ser gentil com as pessoas e espalhar o amor...
Aproveite ;D



quarta-feira, 22 de setembro de 2010

A música PERFEITA para o momento!


Se alguém já lhe deu a mão
E não pediu mais nada em troca
Pense bem, pois é um dia especial
Eu sei que não é sempre
Que a gente encontra alguém
Que faça bem
E nos leve desse temporal
O amor é maior que tudo
Do que todos até a dor se vai
Quando o olhar é natural
Sonhei que as pessoas eram boas
Em um mundo de amor
Acordei nesse mundo marginal
Mas te vejo e sinto o brilho desse olhar
Que me acalma, me traz força pra encarar tudo
Mas te vejo e sinto o brilho desse olhar
Que me acalma, me traz força pra encarar tudo
O amor é maior que tudo, do que todos, até a dor se vai 
Quando o olhar é natural
Sonhei que as pessoas eram boas
Em um mundo de amor
E acordei, na terceira Guerra Mundial.
Mas te vejo e sinto o brilho desse olhar
Que me acalma, me traz força pra encarar tudo

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Que eu esteja bem... [2]

Há algum tempo, eu escrevi aqui no blog outro texto com o nome "Que eu esteja bem...", em forma de um desabafo. Hoje, nesse momento, estou ouvindo a música que me inspirou a escrever aquilo, claro, só me inspirou quando foi somada a tudo que eu estava passando no momento e a todas as dúvidas que me atormentavam. Mas hoje percebi que de fato só vemos aquilo que queremos ver.
É engraçado, porque eu vivo repetindo isso, mas ainda não tinha me dado conta de como essa "teoriazinha" é presente na minha vida.
Claro, às vezes não é só "por querer" que eu vejo as coisas, nem só por "não querer" que não vejo; nem sempre é só minha vontade que conta, mas a vontade dos que estão ao meu redor e até mesmo os meus momentos, minhas fases, minhas crises... Digamos, tudo depende do "tipo de óculos" que uso para observar o mundo.
Mas enfim, hoje ouvindo novamente essa música, minha visão é outra. Hoje eu vejo que "estar bem" só depende de mim, porque tudo que eu precisava ter para ficar bem, eu já tenho.
Hoje eu percebi que nem sempre deixo que me façam estar bem. Mas mais importante, eu percebi que tenho alguém que sempre quer me fazer estar bem... Do jeito dele, claro, às vezes meio sem jeito mesmo. Mas é tão bom quando ele consegue!
Hoje eu percebi que tenho e sempre tive uma espécie de refúgio, para onde posso correr e me esconder das bolas de neve que se formam ao meu redor. Percebi que tenho e sempre tive um mundinho só meu, para onde posso ir quando quiser fugir desse mundo cheio de gente louca e brincar um pouquinho de ser feliz... Sabe quando você sente que tem asas? E que pode voar pra um lugar bem longe de todos os seus problemas? Pois é, minhas asas são o abraço dele. É como sair do trânsito às 18h30 e ir direto e reto pra uma colina afastada, perto de um lago, os pássaros voando, o sol se pondo e você observando aquela imagem que parece uma pintura: a sensação é bem parecida com a do abraço dele.
Bom, nem preciso do abraço ou do contato físico, pra falar a verdade... Uma conversa ou apenas saber que eu tenho alguém que me faça estar bem já é o suficiente.
Para isso, não preciso ter razão, nem bons argumentos, não preciso ser "a tal", não preciso entender, nem explicar. Só preciso sentir. Só preciso ser. Só preciso estar. Só preciso existir.


Pra ficar bem só é preciso AMAR.


Everytime I close my eyes I thank the Lord I get you.


Ouvindo: That I would be good - Alanis Morissette e Everytime I close my eyes - Babyface

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Fases

Caras e caros, como é engraçado ter 18 anos!!
Tá, tá, eu sei que é meio clichê falar dessas crises e bla bla bla... E eu achava que já tinha passado por todas as crises possíveis na época do vestibular - não foram poucas.
Mas nada se compara com a crise dos 18 anos!! Sabe por quê? Porque eu não sei se isso é algo bom ou ruim, não sei nem se é uma crise de verdade, quer dizer, ainda não tive vontade de chorar desesperadamente até morrer, nem de matar ninguém (não por causa dos 18 anos, quero dizer; mas por causa da TPM já, inclusive não foi há muito tempo...rs).
Bom, talvez seja uma crise de identidade... Não que eu não saiba quem sou, eu sei, só que eu posso ser várias, depende do dia e isso às vezes me incomoda. Tem dia que eu estou extremamente séria e engajada; em outros, pareço uma criança e em alguns eu queria ainda estar no Ensino Médio. Mas acho que isso passa, só queria escrever pra registrar e principalmente pra organizar minhas idéias. 


Aliás, só por um parêntese, acho que já está até na hora de eu mudar meu blog também, porque a maioria das minhas postagens já não se encaixa na idéia inicial do blog (pão e blog).

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Que eu esteja bem...

Às vezes é tão difícil ficar bem nesse mundo cheio de loucuras e de loucos;
Às vezes é tão difícil encontrar alguém ou algum motivo para ficar bem, mesmo tendo todos eles escancarados à sua vista.
Nem sempre o que mais importa é "ficar bem"... Mas hoje, eu só queria isso.
Estar bem, mesmo com todos os defeitos; estar bem, mesmo vendo coisas erradas acontecerem a todo momento; estar bem, mesmo vendo bolas de neve se formando ao meu redor; estar bem, mesmo não sendo a dona da verdade ou da razão; estar bem, mesmo sem tem porquê ficar bem; estar bem, mesmo doente, mesmo morrendo; estar bem, mesmo sem conseguir dormir; estar bem, mesmo que engorde ou emagreça demais; estar bem, mesmo sem entender nada; estar bem, mesmo que iludida; estar bem, mesmo que perdida; estar bem, mesmo que falida; estar bem, mesmo que arrependida; estar bem, mesmo que eu não seja "a tal"; estar bem, mesmo relembrando o passado a cada instante; estar bem, mesmo chorando; estar bem, mesmo que a verdade seja escondida de mim; estar bem, mesmo quando enfurecida; estar bem, mesmo discordando de tudo; estar bem, mesmo sem poder fazer nada. Que eu esteja bem, agora ou um pouco mais tarde...
That I would be good whether with or without you.


Ouvindo: That I would be good - Alanis Morissette

A lista - Oswaldo Montenegro

 Faça uma lista de grandes amigos
Quem você mais via há dez anos atrás
Quantos você ainda vê todo dia?
Quantos você já não encontra mais?

Faça uma lista dos sonhos que tinha
Quantos você desistiu de sonhar?
Quantos amores jurados pra sempre
Quantos você conseguiu preservar?

Onde você ainda se reconhece
Na foto passada ou no espelho de agora?
Hoje é do jeito que achou que seria?
Quantos amigos você jogou fora?

Quantos mistérios que você sondava
Quantos você conseguiu entender?
Quantos defeitos sanados com o tempo
Eram o melhor que havia em você

Quantas mentiras você condenava
Quantas você teve que cometer?
Quantas canções que você não cantava
Hoje assobia pra sobreviver?

Quantos segredos que você guardava
Hoje são bobos ninguém quer saber?
Quantas pessoas que você amava
Hoje acredita que amam você?

Dia do amigo

Amigos não precisam estar sempre "lá" pra te ajudar, eles não são seus guarda-costas ou babás, são amigos, apenas são; amigos não te pedem pra mudar, apenas te suportam; amigos não precisam fazer você rir quanto estiver triste, não são humoristas, são amigos, apenas te escutam; amigos não precisam te fazer enfrentar a realidade, apenas fazer parte dela; amigos não estão com você pra te fazer vencer seus medos, não são psicólogos, são amigos; amigos não existem pra te fazer entender as coisas, não são professores, são amigos; amigos não precisam fazer com que você fique sempre "pra cima", não são livros de auto-ajuda, são amigos, apenas respeitam seus momentos; amigos não precisam se arriscar em loucuras com você, não precisam dar prova de amizade; amigos não precisam ouvir ou dizer "eu te amo", não é necessário; amigos podem sumir por um tempo, mas sempre reaparecem; amigos podem esquecer de várias coisas, mas mesmo assim a amizade continua viva; amigos podem te irritar, magoar, chatear, encher o saco, mas sempre terão a capacidade de fazer rir mais uma vez, e outra, e outra... Amizade é aquilo que todo amor queria ser.

sábado, 17 de julho de 2010

Uma ave diferente das outras...

"Apertou os olhos em feroz concentração, prendeu o fôlego, obrigou-se a alongar a curva por mais um... único... mais um... centímetro. Nesse momento, porém, as penas se encresparam, perdeu sustenção e caiu.
Gaivotas, como todo mundo sabe, jamais tropeçam no ar, jamais perdem altura. Para elas, perder altura e cair é vergonha e desonra.
Porém Fernão Capelo Gaivota - sem sentir a menor vergonha, estendeu novamente as asas naquela trêmula e difícil curva, perdendo velocidade, perdendo, e caindo outra vez - não era uma ave igual às outras.
A maioria das gaivotas não se incomoda em aprender mais do que os rudimentos do vôo - como ir da praia até a comida e voltar. No que interessa à maioria, o importante não é voar, mas comer. Para essa gaivota, porém, o que importava não era a comida, mas o vôo. Mais do que qualquer outra coisa, Fernão Capelo Gaivota adorava voar." (Fernão Capelo Gaivota - Richard Bach)

O que ninguém vê

Eu sou o que ninguém vê; sou os brinquedos com os quais brinquei, as gírias que eu usei; sou os segredos que eu guardei, e principalmente os segredos que contei; eu sou o lugar para onde vou quando quero pensar na vida, ou para esquecer dela; eu sou o milagre de ter  escapado de vários acidentes; sou as paixões que já tive e ainda tenho; eu sou a conversa séria que tive com meus pais; eu sou o que eu lembro. Eu sou o que puxei da minha mãe; sou a personalidade que herdei do meu pai; sou os conselhos que recebi dos meus avós; sou a infância que me dá saudades; sou a dor que eu senti por algo não ter dado certo, por eu não ter falado o que pensava na hora, ou o arrependimento por ter falado tudo; sou também o que aprendi que não devo dizer; sou o diário que eu queimei; sou as mentiras que já contei, as verdades que não falei e os disfarces que já usei; eu sou a emoção de um trecho de livro, sou o sentimento expresso em uma música especial, sou a cena na rua que me arrancou lágrimas; eu sou o que eu chorei e choro. Eu sou o abraço inesperado, o beijo roubado, a força dada ao amigo que precisa; eu sou os momentos passados na frente do espelho, sou o tempo perdido e o tempo bem aproveitado; sou a gargalhada histérica com as amigas; sou declarações de amor; sou o grito de "uhuu! Eu consegui!" e as vezes que esse grito ficou calado; sou a palhaçada feita só pra ver alguém sorrir, sou o sorriso retribuído; sou uma crise de ciúmes, um ataque de choro na tpm, uma resposta áspera, mas sou também meu amor próprio exacerbado. Eu sou a sensibilidade que grita, a saudade que chora e a certeza que se desespera; eu sou o que esqueci de escrever aqui; eu sou o que penso e o que sinto: na verdade, sou o que ninguém vê.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Verdade

"O que faz o valor do homem não é a verdade que ele possui, ou julga possuir; é o esforço sincero que ele fez por conquistá-la: porque não é pela posse, mas pela pesquisa da verdade, que o homem aumenta suas forças e se aperfeiçoa. Se Deus tivesse fechada em sua mão direita toda a verdade, e na esquerda a aspiração eterna para a verdade, mesmo com a condição de enganar-se sempre, e me dissesse: 'escolhe!', eu tomaria humildemente a mão esquerda, e lhe diria: 'Dá-me, meu Pai, porque a verdade pura só foi feita para Ti.' " - Lessing.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Utopia

"A utopia está lá no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar".
(Eduardo Galeano)

sábado, 24 de abril de 2010

Momento "own" *-*

"Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para não querê-las...
Que tristes os caminhos, se não fora
A mágica presença das estrelas!"



(Mário Quintana)

sábado, 17 de abril de 2010

I have a dream

"Eu tenho um sonho, uma canção para cantar para me ajudar a lidar com tudo!
Se você vê o encanto de um conto de fadas, então você aceitará o futuro, mesmo que você falhe.
Eu acredito em anjos; há algo de bom em tudo que eu vejo. E quando eu souber que é o tempo certo, vou atravessar o meu limite!
Sim, eu tenho um sonho, uma fantasia para me ajudar através da realidade, e o meu destino faz valer a pena!"


http://www.radio.uol.com.br/musica/westlife/i-have-a-dream/115318

A crise de Fernão...

Aviso prévio: para entender o que vou escrever aqui é necessário ter lido pelo menos um resumo do livro Fernão Capelo Gaivota, de Richard Bach.


Assim como Fernão, tenho muito orgulho de ser o que sou, até com meus defeitos - e daí se eu não consigo usar as asas corretamente para fazer uma curva? estou aprendendo a voar!
Mas ultimamente tenho passado pelo mesmo que ele passou quando resolveu "ser uma gaivota normal"; eu bem que queria ficar quieta no meu canto, no meu mundinho fechado, sem me importar com os outros, em ajudá-los, em mostrá-los a verdade, sem dividir minha opinião com mais ninguém, afinal: quem se importa? quem entende? quem quer saber?
Porém, da mesma forma como Fernão percebeu que sua vida "normal" era vazia, eu percebi que não há jeito de abdicar do meu posto de Capelo Gaivota. Sou o que sou, me preocupo com as pessoas e quero ajudá-las; tenho minhas opiniões muito bem formadas e não vou mudar, para mim, está certo. E daí que não vou ficar conhecida como a gaivota mais rápida? Ou como a que tem mais peixe? E daí que nem todas as outras gaivotas vão querer saber da minha história? Ou querer a minha ajuda? E daí que as outras gaivotas não me entendem? Em algum lugar do mundo, há mais gaivotas como eu!
Sou uma Capelo Gaivota, não preciso disso! Não preciso de dinheiro, reconhecimento, grandes mudanças, um mundo melhor, sorrisos, popularidade ... Mas, se eu aprender a fazer aquela curva no ar...